20 de julho de 2014

MEU PERSONAL GOSTOSO

Maria sempre foi adepta a exercícios físicos, fazia academia regularmente, alimentava-se bem, muitas sementes, saladas, grelhados... O que mantinha seu corpo escultural.


Já fazia algum tempo que ela observara o novo personal trainer da academia onde malhava, João, era o nome daquele mortal que parecia um Deus grego.

Passou a cumprimentá-lo, depois umas breves conversas e agora, muitos sorrisos e decotes que davam a entender sua real intenção. Mas ele sempre muito sério, fingia não perceber o interesse da moça.

Ela já estava quase desistindo quando ouviu-o conversando com outro personal, falando que em casa ele tinha montado uma verdadeira academia para suas aulas particulares. Era exatamente o que Maria precisava, uma desculpa para ficar a sós com ele. Conseguiu um horário para ter um atendimento especial, que na academia era impossível, porque havia muitas pessoas para ele atender.

O gato passou o endereço para ela e combinaram o horário. Teria de ser depois que ele saísse da academia, ou seja, à tardinha, quase noite.


 Ela chegou a casa dele já vestida, ou melhor, quase despida. Um shortinho de lycra bem pequeno e uma blusinha colada bem decotada, que realçava os seios. Ele a recebeu com um sorriso, fechou a porta e levou-a para um galpão que havia construído no quintal e que era a tão falada academia particular.

        Maria observou os aparelhos e viu que havia uma barra diferente daquela que existia na academia. Foi até lá e perguntou como seria um exercício ali. Ele explicou e ela começou a fazer. Depois de alguns minutos, ela já suando de tesão e de calor, reclamou com ele da falta de ventiladores, ele respondeu que já havia comprado, mas que não tivera tempo de instalar.


Ela então, com a maior cara de pau, perguntou se ele se incomodaria de ela tirar a blusa, porque estava meio sufocada do calor.


     Ele concordou, foi então que percebeu e arregalou os olhos quando viu os seios dela, desnudos, livres, leves, soltos. Eram muito bonitos mesmo, ela sabia disso e esperava que ele, a partir dali, entendesse qual era a jogada. Continuou a fazer o exercício na barra, mas fez errado, de propósito, queria que ele se aproximasse para ensinar. Como ele apenas ensinava, ela radicalizou. Quando ele chegou bem perto, ela logo tirou o shortinho e a calcinha de uma só vez.

- Nossa como aqui faz calor... – disse Maria com uma voz suave e sexy.

Voltou a fazer os exercícios de agachar, segurando na barra, empinando aquele bundão lindo bem aos olhos de João, que a essa hora já estava com o pau duro.


- Vou te ensinar um exercício diferente, que não pode ser feito na academia, só aqui… segure bem firme na barra para não cair, porque você vai estremecer todinha!

       Começou a lamber a bucetinha dela, línguadas firmes e bem molhadas... Realmente, ela teve que segurar bem para não desabar em cima daquele homem. 
Depois de chupá-la gostoso era a vez de ela mostrar suas habilidades com a língua.

       Tirou a calça dele, ajoelhou-se e engoliu logo todo aquele caralho, fez-lhe aquele boquete que todos se deliciavam quando ela fazia. E ele teve mesmo de segurar na barra, estava urrando de prazer. Quando ela terminou e tirou o pau dele da boca fazendo um barulho semelhante a uma rolha de champanhe quando estoura, ele não aguentou mais. 

Levou-a, carregada, para um aparelho em frente a um espelho, colocou-a ajoelhada no assento, de quatro e enfiou o caralho fazendo-a gemer e suar, deixando seus cabelos molhados e grudando no corpo.

E ela urrava: 

- Ahhhhhhhhhhhhhh…. não para, me fode… está gostoso…


        Quanto mais ela falava assim, mais ele sentia tesão e mais ele metia.

Ele deitou-se no chão e ela sentou-se, agora de costas para ele. Ela fazia isso sempre que queria entusiasmar o parceiro a comer seu cu. Montou gostoso no seu pau, até que ele não pode se conter e colocou-a para chupar seu caralho novamente, até finalmente gozar toda a sua boca, rosto e seios.

 Nem preciso dizer que essas aulas particulares rendem até hoje e os faz queimar muitas calorias...